Utilização de estímulos musicais em paciente com Charcot-Marie-Tooth

Resumo do trabalho apresentado a banca examinadora da Universidade Presidente Antônio Carlos, (UNIPAC – JF – MG), como requisito final do curso de Fisioterapia.

Introdução: Charcot- Marie- Tooth é uma doença determinada pelas anormalidades das células de Schwann e de suas bainhas de mielina com disfunção dos nervos periféricos. A presente pesquisa qualitativa e quantitativa na forma de relato de caso, teve como finalidade a observação dos possíveis benefícios para a marcha da paciente, com a utilização de estímulos musicais em conjunto com a fisioterapia.

Materiais e Métodos: a paciente (4 anos) foi avaliada duas vezes entre o período de fevereiro e junho de 2006 na Clínica Escola UNIPAC/ JF por intermédio de registro em vídeo; mensuração do passo, passada, largura do passo, velocidade e aplicação do teste de equilíbrio e marcha de Tinetti. Durante as sessões foram realizadas anotações diárias da evolução e conduta do tratamento, sendo utilizado violão, instrumentos de percussão, bola suíça, escadas, prancha de equilíbrio, cones e colchão.

Resultados: Quanto à análise qualitativa, observou-se melhora significativa nas atividades funcionais com maior habilidade para vestir-se; ortostatismo independente; subir e descer escadas sem apoio e independência na colocação e retirada da órtese, e na quantitativa, através da aplicação do teste de equilíbrio e marcha de Tinetti, foram obtidos 25 pontos, constatando-se acréscimo de 5 pontos. Ainda constatou-se um ganho na mensuração do passo, passada, largura do passo e velocidade da marcha ao final do tratamento.

Conclusão: Portanto, a integração transdisciplinar da musicoterapia em conjunto com a fisioterapia se mostrou eficaz neste caso, o que nos leva a oferecer novas opções de tratamento na aplicação da reabilitação de pacientes com patologias pouco conhecidas.

Por: Cláudia Soares dos Santos; Melissa de Macedo Torrens; Ana Maria Ribeiro Lobato.

FONTE: Revista Fisio Lógica, v.1 – n.3, ISSN: 1809 – 9327, edição semestral: dezembro – 2006.

Deixe um comentário