Diferenças entre Musicoterapia, Educação Musical e Educação Musical Especial

Quando a music child é atingida, a criança se desenvolve musicalmente, ou seja, ela amplia sua criatividade musical (musicalidade).

“Musicoterapia é um processo orientado por objetivos no qual o terapeuta ajuda o cliente a melhorar, manter ou restaurar um estado de bem-estar, utilizando experiências musicais e as relações que se desenvolvem através delas como forças dinâmicas de mudança”. (Bruscia, 1987)

Segundo o modelo Nordoff-Robbins toda criança, independente de ser normal ou ter alguma patologia, possui a condition child (Criança-condição). No entanto, quando a criança é deficiente ou limitada de alguma forma, ela acaba se encapsulando dentro de sua patologia, não podendo fazer muitas atividades que outras crianças fazem, mas dentro de si, elas possuem a music child (criança-música), que está preservada e pode ser atingida pela música.

A função do musicoterapeuta é facilitar esse processo. Quando a music child é atingida, a criança se desenvolve musicalmente, ou seja, ela amplia sua criatividade musical (musicalidade).

Acredita-se que:

“ …Cada mudança que o cliente faz em uma experiência musical, ou ela pode ser generalizada para áreas não-musicais em função da interdependência de todas as áreas do funcionamento humano, ou a mudança musical já significa ou demonstra que uma mudança não-musical ocorreu”. (Bruscia, 2000).

É fato considerar o ser humano, um ser todo ( bio-psico-social), e que a música influencia em todas essas áreas.

Musicoterapia, finalidade: terapêutica; participação: individual ou grupo; formação: musicoterapia (universitário); material utilizado: instrumentos sonoros; uso da expressão: não verbal (e verbal); objetivos: abrir canais de comunicação, inclusive na educação; relação terapêutica: próxima e contato; recursos: musicoterapêuticos para cada caso.

Educação Musical, finalidade: ensino musical; participação: individual ou grupo; formação: musical ( conservatório); material utilizado: instrumentos musicais e voz; uso da expressão: verbal; objetivos: formar músicos; relação terapêutica: “não há;recursos: didáticos.

Educação Musical Especial, finalidade: ensino musical a portadores de deficiências; participação: individual ou grupo; formação: musical pedagógico; material utilizado: instrumentos musicais e voz; uso da expressão: verbal; objetivos: ensino musical com função terapêutica; relação terapêutica: próxima (e contato); recursos: didáticos e da especificação de cada patologia.

Por: Cláudia Soares dos Santos

Deixe um comentário