Miologia Humana: um resumo introdutório

Miologia é o nome dado ao estudo do sistema muscular. Os músculos no corpo humano representam cerca de 60% do seu peso. A forma do corpo humano é, em grande parte representada através dos músculos, que estão fixados ao arcabouço ósseo.

O que são os músculos?

São o tecido responsável por executar todo o movimento do corpo e dos seus órgãos internos. Esses tecidos são formados por células especializadas capazes de realizar contração e relaxamento e, assim, produzir movimentos corporais.

Divisão dos Músculos

Podemos, de maneira geral, classificar os músculos em:

  • Voluntários: aqueles que contraem os movimentos corporais.
  • Involuntários: responsáveis pelo movimento no interior do corpo.

Ainda, podemos realizar outra divisão entre:

  • Músculo Estriado Esquelético, que apresentam movimentos voluntários;
  • Músculo Liso, compõem a parede das vísceras ocas e tubulares e são de movimento involuntário;
  • Músculo Cardíaco, constituem o miocárdio(músculo do coração; mio=músculo, cárdio=coração).

Quando falamos de músculos, em geral nos referimos às partes carnosas do corpo humano, e as associamos ao movimento. Portanto, estamos nos referindo ao músculo estriado esquelético. É importante ressaltar a íntima relação entre os sistemas muscular e nervoso, uma vez que o sistema nervoso é responsável pela transmissão dos impulsos nervosos, gerando, então, como resposta a um determinado estímulo uma contração, um movimento específico dos músculos em questão.

Funções dos músculos

As funções dos músculos dependem de sua localização. Em todos os casos, entretanto, o músculo só realiza uma função, que pode ser definida como contração.

Os músculos estriados esqueléticos são formados por fibras musculares esqueléticas. As fibras musculares esqueléticas são células alongadas, com aspecto estriado característico ao microscópio. Essas células são inervadas por fibras motoras de célula do sistema nervoso central. A musculatura cardíaca também se constitui de fibras estriadas, mas sua ativação é regulada pelo sistema nervoso autônomo. As paredes da maioria dos órgãos e de muitos vasos sanguíneos apresentam fibras musculares lisas. Sua atividade é regulada pelo sistema nervoso autônomo e por certos hormônios, e elas fornecem força motora para vários estágios da digestão, da circulação, secreção e da excreção.

Os músculos esqueléticos são denominados músculos voluntários, devido ao fato de poderem, quase sempre, ser controlados voluntariamente. Muitas das suas ações, no entanto, são automáticas, e alguns deles têm ação reflexa e apenas parcialmente submetida ao controle voluntário. Já as musculaturas lisa e cardíaca, são consideradas musculaturas de trabalho involuntário, ou seja, não podem ser controladas.

O que saber sobre os músculos:

  • Para realizar o processo de contração, o músculo precisa de oxigênio e nutrientes. Dentro do músculo, finos vasos sanguíneos capilares circulam em grande quantidade. Através destes, o músculo recebe os nutrientes necessários para sua função.
  • Os músculos não relaxam completamente em nenhum momento do nosso dia-a-dia, nem mesmo no sono. Eles sempre mantêm uma contração mínima, em alerta para uma possível contração maior, mais repentina.
  • Quando o trabalho muscular é excessivo, este entra no processo chamado de fadiga muscular. Quando há fadiga, pode haver dor muscular.
  • A ginástica bem orientada é saudável para os músculo e quando se faz exercícios adequados, ativa-se a circulação sanguínea e aumenta a potência muscular.
  • Quando um atleta pratica certo esporte que utiliza exercícios especiais para o músculo, ocorre a hipertrofia dos músculos, o que nada mais é do que um aumento de volume em locais determinados.
  • A atrofia muscular é quando o músculo não se desenvolve ou diminui de volume. Quando isto ocorre preciso fazer exercícios e massagens especiais por pessoas habilitadas. Casos de atrofia muscular podem ocorrer quando engessamos o braço ou a perna.

Desenvolvimento muscular

A partir do momento em que nascemos, temos todas as células musculares que usaremos durante toda a nossa vida. Porém, eles só se desenvolvem de maneira adequada após o nascimento por meio de um ambiente propício, através da interação entre uma dieta nutritiva, exercícios e um perfil hormonal adequado. Após a adolescência, os hormônios masculinos passam a favorecer o maior tamanho e força da musculatura dos homens.

O tecido muscular, sob demanda, cresce por hipertrofia e não hiperplasia, ou seja, o volume das suas células aumenta, sem necessariamente aumentar o número de células no tecido.

Vamos aprofundar agora nos músculos estriados esqueléticos, por serem a maioria em nosso corpo.

Músculo Estriado Esquelético

Um músculo esquelético típico possui uma porção média e extremidades. A porção média é carnosa, vermelha no vivente (vulgarmente chamada “carne) e recebe o nome de ventre muscular. Nele predominam as fibras musculares, sendo, portanto, a parte ativa do músculo, isto é, a parte contrátil. Quando as extremidades são cilindróides ou então têm forma de fita, chamam-se tendões, quando são laminares(se espalham) recebem a denominação de aponeuroses.

Os tendões e aponeuroses têm função de prender o músculo ao esqueleto (ligam o ventre muscular ao osso).

Mas, no entanto, podemos dizer que as definições acima apresentam alguns problemas:

  • Os tendões ou aponeuroses nem sempre vão se prender ao esqueleto, podendo faze-lo em outros elementos, como, cartilagem, cápsulas articulares, septos intermusculares, derme, tendão de outro músculo.
  • Em um grande numero de músculos, as fibras dos tendões tem dimensões tão reduzidas que se tem a impressão de que o ventre muscular se prende diretamente ao osso.
  • Em uns poucos músculos, aparecem tendões interpostos a ventres de um mesmo músculo, e esses tendões não servem para fixação no esqueleto.

Quais São os Problemas Mais Comuns?

Quando os músculos são pouco usados ou exageradamente ficam mais suscetíveis a ferimentos. Quando os músculos são puco usados eles encolhem e se tornam flácidos favorecendo o desgaste muscular e a fraquesa. Quando os musculos são usados em excesso, eles são danificados e causam dor, rigidez e às vezes inflamação e inchaço. Os músculos também podem ficar fracos ou doloridos devido a infecções por vírus.

Fonte: Material elaborado por Ana Clara Carvalho

Deixe um comentário