Auto-tratamento na disfunção da torácica média: um elo chave no eixo corporal

A Disfunção na torácica média é a maior responsável pela sobrecarga exercida em outros tecidos que vão levar a dor no paciente. Uma desordem do ombro como a tendinite do manguito rotador é um exemplo de uma patologia com diagnóstico específico que requer reabilitação da função da torácica média. No exemplo citado, os sintomas e os tecidos lesados podem estar à distância do local de sobrecarga biomecânica na corrente de movimento.

Tratamento

Deve-se objetivar não só o alívio da dor, mas também os déficits biomecânicos funcionais responsáveis pela sobrecarga em primeiro lugar. O tratamento da cifose da torácica média envolve mobilização e fortalecimento das articulações e músculos extensores da torácica média. Exercícios específicos para os extensores dorsais são necessários tanto para mobilizar a coluna quanto para facilitar, reeducar e construir uma resistência nos músculos necessários para manter a coluna o mais vertical possível.

Exercícios

Posição Brugger de alívio

  • Paciente sentado na beira da cadeira.
  • Pernas abduzidas, com leve rotação externa
  • Membros superiores estendidos ao longo do corpo com supinação de antebraço.
  • Dedos em extensão e abdução.
  • Expiração ativa com elevação do esterno.
  • Realizar duas a três repetições com pequenos intervalos, por um total de  20 minutos.
  • Expiração ativa: a expiração forçada ativa os músculos da parede abdominal e assim estabiliza a coluna lombar.

Mobilização de lewits na parede com PIR (Post-Isometric Relaxation) ou Pós-Relaxamento Isométrico

  • Paciente sentado na beira da cadeira.
  • Pernas abduzidas com leve rotação externa.
  • Paciente inclina-se para frente e sustenta a cabeça nos braços fletidos contra a parede.
  • Pede-se para o paciente inspirar profundamente e expirar até o fim, forçando no final da expiração (tosse), para atingir mobilização máxima da torácica média.
  • Durante a expiração o paciente deve deixar o esterno ir de encontro com a parede.

Costas para cima na posição de gato

Parecido com o exercício anterior, porém não tem a mesma eficácia.

  • Paciente de gato de frente com uma cadeira.
  • Apoia antebraços na cadeira; o quadril não pode estar posterior aos joelhos.
  • Paciente olhando para frente pede-se para que o mesmo “recolha” a coluna e leve o peito em direção ao chão.

Exercícios de costas na bola/rolo de espuma

  • Mobilização em extensão da torácica média.
  • Bola: paciente deita na bola com ambos os pés no chão e faz extensão de tronco.
  • Rolo:
    • Vertical: rolo ao longo da coluna;
    • Horizontal: horizontalmente na torácica.

Alongamento ativo do orador

  • De joelhos com os pés para fora da maca.
  • Paciente senta sobre os calcanhares.
  • Membros superiores estendidos em frente ao corpo.
  • Cabeça apoiada nos braços.
  • Paciente inicia movimento com inspiração ativa e expiração normal
  • No final da expiração, realiza uma expiração forçada, empurrando o peito em direção à maca.
  • Paciente não pode tocar o queixo no peito ou elevar ombros durante expiração.

Deslizamento na parede com elevação dos braços

  • Paciente encostado na parede em pé.
  • Ombros e cotovelos a 90 graus.
  • Antebraço supinado e dedos estendidos e abduzidos.
  • Pés anteriores ao corpo.
  • Instrui o paciente a manter os braços elevados enquanto faz agachamento soltando o ar ativamente pela boca.

Conclusão

A cifose da região torácica média é um déficit biomecânico funcional comum visto em paciente com uma grande variedade de sintomas musculoesqueléticos. A disfunção T4-T8 é simples de identificar mas infelizmente complicada de tratar. Muitos fatores podem desencadear essa disfunção, fazendo assim com que os exercícios de auto-tratamento, quando feitos de forma regular, sejam essenciais.

A perda da postura normal, infelizmente é um problema muito comum visto até em pessoas mais jovens. É identificada como um problema, e uma administração bem sucedida merece nossa atenção.

Por: Luiz Felipe Smaniotto; Mônica k. Scoton

Deixe um comentário