Síndrome das Pernas Inquietas (SPI)

A Síndrome das Pernas Inquietas (SPI), uma das causas da insônia, atinge cerca de 10% dos brasileiros. O fato de ser facilmente confundida com ansiedade e nervosismo, dificulta o diagnóstico da doença.

“Muitas pessoas passam anos sofrendo de SPI sem encontrar uma orientação adequada”, explica Evelin Goldenberg, reumatologista do Hospital Albert Einstein (SP). A SPI se manifesta principalmente em mulheres, após os 25 anos de idade.

O desconforto nas pernas, é a característica principal da SPI, que provoca também formigamento, coceira, arrepios, cãibras e dor nas pernas. A síndrome desencadeia crises mais fortes durante a noite. Mesmo dormindo, a pessoa movimenta as penas em intervalos regulares, o que perturba o sono. É comum que a vítima do problema, passar a “assaltar a geladeira” e acreditar que a comida melhora o mal-estar. “O que alivia, e a pessoa não percebe, é o percurso da cama até a geladeira”, explica Evelin.

Ela explica que a SPI tem diversas causas. Uma delas, mais comum entre as mulheres, é uma alteração no neurotransmissor dopamina. “É uma síndrome de gênero, típica das mulheres”, diz a médica. Nesse caso, o tratamento inclui medicação para controlar a dopamina e exercícios de alongamento, recomendados em qualquer que seja a causa. A SPI também pode ser provocada por carência alimentar, especialmente por falta de ferro e ácido fólico, é muito comum ocorrer em dietas sem acompanhamento especializado.

Fontes: Agência Estado

Deixe um comentário