Reeducação Postural (RPG) na Terceira Idade

Escolioses, hiperlordose, hérnia de disco, torcicolo, lombalgia, artrose, bursites e tendinites, asma, bronquite, dores musculares, estresse e enxaqueca são alguns dos problemas que a reeducação postural ajuda a tratar e prevenir. Na Clínica Tônus, a fisioterapeuta Sabrina Martins Bersan tem duas formas de tratar a postura. “Trabalhamos com reeducação postural global (RPG) e o método de cadeias musculares”, informa.

A sigla RPG indica uma técnica conhecida por quase todas as pessoas que já passaram por um ortopedista e é aplicada por fisioterapeutas no tratamento de várias patologias. “O método é baseado na visão global do corpo”, explica Sabrina. O RPG considera as dores e deformações como decorrência de um encurtamento dos músculos, que são interligados. “O método trabalha a respiração e as alterações das posturas, fortalecendo e alongado os grupos musculares específicos.”

Saber que é importante manter uma postura correta, todo mundo sabe. Mas, na hora de assistir à TV, ficar em frente ao computador ou fazer esforço físico, pouca gente se preocupa com a posição indicada pelos fisioterapeutas, para prevenir lesões e evitar sérias doenças. Os reflexos da falta de cuidado com a postura aparecem, principalmente na terceira idade. “Mas em qualquer fase da vida, a reeducação postural é indicada para prevenir e tratar problemas que podem comprometer o envelhecimento saudável”, ressalta Sabrina.

Técnica trabalha cadeias musculares e contribui para o envelhecimento saudável

Cada uma das oito posturas do RPG enfatiza uma cadeia muscular. As posturas implicam movimentos lentos, graduais e progressivos que duram, em média, 20 minutos cada. A sessão de RPG se prolonga por uma hora e os tratamentos exigem uma média de 12 sessões. O objetivo é alongar e descomprimir o corpo, permitindo que os músculos se automatizem a ficar nas posições fisiologicamente corretas. “Depois do tratamento, o paciente aprende a se manter em posturas adequadas naturalmente.”

A aposentada Cleuza Domingos de Abreu procurou a fisioterapeuta com o diagnóstico de fibromialgia. “Eu sentia tantas dores, que achava que meu quadro era irreversível”, recorda. Ela afirma que 40 sessões de RPG foram suficientes para acabar com a dor. “Eu me sinto outra pessoa. Aprendi a manter a postura correta, inclusive ao dormir.”

Quando tinha 11 anos, o estudante Carlos Gustavo Rizzi, atualmente com 20, estava prestes a ser submetido a uma cirurgia quando começou o tratamento com a fisioterapeuta Sônia Avelar. “Ele apresentava displasia epifisária do quadril e sentia dores muitos fortes”, explica a especialista. Depois de seis meses de RPG, a cirurgia foi adiada e um ano depois, cancelada. “Hoje não sinto mais as dores que me impediam de levar uma vida normal.”

Se o paciente não reclama de dor, a fisioterapeuta observa “o que mais foge da fisiologia do corpo”, segundo Sabrina. A partir da análise das zonas cervical, dorsal, lombar, bacia, joelhos, ombros e pés, e dos sintomas do paciente, o profissional indica os exercícios de respiração e as posturas a serem seguidas.

Deformações como cifose, lordose, escoliose, pés chatos, problemas nos joelhos, alterações decorrentes de problemas neurológicos, tendinites e doenças causadas por esforço repetitivo, machucados causados por esporte e recuperação pós-traumas, além das dores em geral, principalmente da coluna vertebral, mal que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), atingirá cerca de 80% da população, estão entre os principais problemas tratados e prevenidos com a RPG, segundo informações da Sociedade Brasileira de Reeducação Postural Global.

Crianças

Partindo do tratamento analítico para a condição global, o método de cadeias musculares engloba técnicas de alongamento e relaxamento. “Com isso, as posturas vão melhorando e as dores vão desaparecendo.” Sabrina ressalta que crianças a partir dos 7 anos já podem ser submetidas à RPG e que o tratamento de cadeias musculares é indicado para recém-nascidos. “As técnicas são complementares e, se aplicadas de maneira preventiva, garantem melhores benefícios”, afirma Sônia.

Pela leitura postural, o método de cadeias musculares permite personalizar a escolha das técnicas de tratamento adequadas às especificidades de cada paciente. “Após o tratamento, o paciente deve estar apto a manter a postura correta, para evitar novos problemas”, orienta Sabrina.

Aprender a sentar direito é um bom começo para quem quer corrigir a postura. “A postura ruim, associada a maus hábitos, como ficar horas ininterruptas à frente do computador, ver televisão deitado e fazer exercícios físicos sem acompanhamento adequado, pode desencadear problemas que geram graves patologias”, alerta Sabrina. É bom lembrar que sentar direito significa apoiar os ossos dos glúteos (ísquios) na cadeira, manter os pés no chão e a coluna reta.

Deixe um comentário