Doenças Urológicas no Idoso

Ocorre uma diminuição do peso do rim principalmente devido a acentuada diminuição numérica dos glomérulos. Os túbulos também se encontram atrofiados e dilatados e o tecido intersticial se encontra aumentado.

Essas modificações morfológicas se traduzem em modificações funcionais, com redução da filtração glomerular. Dessa forma, mesmo em condições de normalidade existe um quadro de insuficiência renal de grau discreto na maioria dos idosos.

Incontinência Urinária

Infecções, hipotrofia da musculatura pélvica, compressão externa da bexiga (devido, por exemplo, a um tumor ou constipação), são as causas gerais que mais contribuem para o surgimento da incontinência urinária. Em 80% dos casos de encefalopatia orgânica, tipo hemorragia ou trombose, está presente a incontinência urinária e também a fecal.

A fim de prevenir ou curar a incontinência urinária é importante uma assistência contínua de modo a reabituar o paciente a urinar em intervalos regulares. Alguns fármacos, como a estricnina e os anticolinérgicos (como o brometo de emeprônio que parece ter ação específica sobre a bexiga) também podem ser usados.

No tratamento da incontinência fecal, causadas devido a irregularidades do ritmo intestinal (diarréias, constipação), a afecções anorretais (prolapso, neoplasias), a atonia muscular anal e a infecções urinárias, são úteis as dietas pobres em resíduos com o objetivo de retardar o esvaziamento intestinal e provocá-lo a cada 3 dias com supositórios.

Retenção Urinária

Mais frequente no sexo masculino devido a afecções prostáticas e estenose uretral, também podendo ser devida a afecções neurológicas, ou após imobilização prolongada ou pelo uso de alguns medicamentos como sedativos e diuréticos.

Os pacientes referem sensação de peso e dor no quadrante inferior do abdômen e sensação de mal-estar geral.

Deixe um comentário