Watsu: terapia aquática

Publicado em 11 de novembro de 2014

A palavra watsu é o resultado da combinação de water (água) e de shiatsu (terapia oriental para o equilíbrio físico e energético do corpo). Uma atividade irresistível, além de ser realizada na piscina, com a temperatura entre 34ºC e 36ºC, você não precisa mover um dedo, tudo acontece por conta do professor. O watsu foi criado na década de 80 pelo terapeuta norte-americano Harold Dull, mas a técnica só chegou no Brasil em 1997. Marcelo Roque, fisioterapeuta, professor de Watsu, Ioga e RPG, conta que a única função de uma pessoa na sessão de watsu é relaxar. “Quem realiza todo o trabalho é o profissional. Iniciamos com o paciente em pé, com as costas na parede da piscina. Gradativamente é conduzido para um estado de relaxamento, em que o terapeuta o carrega no colo e faz todo o trabalho”, explica.

O watsu normalmente é realizado uma vez por semana, em sessões de uma hora. O terapeuta massageia pontos de tensão e os meridianos (pontos energéticos do corpo). Marcelo revela que a pessoa que faz watsu não é a única beneficiada. O terapeuta também sente um bem-estar enorme no momento da sessão. A confiança é uma das bases da terapia, ser sustentado nos braços de alguém, é a prova disso. “Mas, com ajuda da água aquecida, da respiração, dos movimentos suaves de alongamento e desbloqueio dos pontos de tensão muscular, é possível chegar a um estado de relaxamento profundo”, explica a terapeuta holística, Neuza Mori Sério. “A integração com o profissional no momento da terapia é tão grande que você sente como se estivesse no útero materno. Por isso, não há necessidade de saber nadar, já que o professor oferece aconchego e apoio dentro da piscina. Além de uma massagem, o terapeuta também faz movimentos com o paciente na água”, diz Ursula Garthoff, professora de Watsu.

Tratamento holístico

 De acordo Neuza Sério, o watsu é uma técnica de relaxamento holística, pois o tratamento é realizado como um todo, trabalhando a parte física, mental, emocional e espiritual. Durante o tempo em que você fica na piscina o terapeuta vai massageando todo o corpo, além de realizar um alongamento. O próprio profissional estica os membros. A técnica é ideal para quem tem os seguintes problemas: Fibromialgia; Acidente Vascular Cerebral (AVC); Depressão; Estresse; Ansiedade; Síndrome do pânico; Reumatismo; Artrite; Artrose; Insônia; Enxaqueca, originada por tensão muscular e estresse.

Quem deve procurar o watsu? Não é preciso estar doente ou estressado para fazer uma sessão de watsu. A técnica é indicada para pessoas de todas as idades. Gestantes só com autorização do médico responsável pelo pré-natal. Com o watsu, você vivencia um momento de harmonização e meditação. A água quente faz com que a noção de limite e forma do corpo sejam alteradas, o que promove mais relaxamento.

O watsu não é aplicado apenas por fisioterapeutas, há profissionais de diversas áreas em busca de aperfeiçoamento profissional que formam-se na técnica, entre eles psicólogos, fonoaudiólogos, professores de educação física, terapeutas holísticos etc. As sessões de watsu baseiam-se no trabalho de resistência muscular localizada, no aquecimento das articulações, em alongamentos e correções de postura etc. O alongamento é realizado suavemente. A vantagem é que em água morna o relaxamento muscular é mais profundo do que o realizado convencionalmente.

Confira o que o watsu pode proporcionar:

  • Alivia tensões físicas e emocionais;
  • Melhora a flexibilidade e mobilidade articular;
  • Contribui para o aumento da circulação;
  • Reduz o estresse; Melhora a qualidade do sono.

Quer saber um excelente local para conhecer o Watsu ? Indicamos dois locais, Juiz de Fora e outro no Rio de Janeiro.

Confira aqui

 

fonte: http://www.xenicare.com.br/pc/obesidade/xenicare/web/default_conteudo.asp

Deixe uma resposta

Translate »