Treinamento do assoalho pélvico facilita trabalho de parto

Publicado em 5 de maio de 2015

“Treinamento do assoalho pélvico facilita trabalho de parto”

Treinamento do assoalho pélvico facilita trabalho de parto

Treinamento do assoalho pélvico facilita trabalho de parto

 

 

 

 

 

 

Um mito prevalece entre obstetras — músculos do assoalho pélvico fortes (por exemplo, em decorrência da prática de equitação) podem obstruir o trabalho de parto, relata K. Å. Salvesen, do Hospital Universitário de Trondheim, e Siv Mørkved, da Universidade de Ciência e Tecnologia da Noruega, ambos em Trondheim, Noruega. No entanto, o treinamento dos músculos do assoalho pélvico pode produzir músculos fortes e bem controlados que facilitarão o trabalho de parto.

O efeito do treinamento da musculatura do assoalho pélvico sobre o trabalho de parto foi examinado como medida de resultado secundário de um ensaio mostrando que o treinamento da musculatura do assoalho pélvico reduz a incontinência durante e depois da gravidez. O ensaio envolveu 301 nulíparas alocadas aleatoriamente em um programa estruturado de treinamento da musculatura do assoalho pélvico entre a 20ª e a 36ª semanas da gravidez (n = 148) ou para um grupo de controle (n = 153).

Os resultados mostraram que as mulheres com treinamento da musculatura do assoalho pélvico tiveram taxa mais baixa de trabalho de parto prolongado no segundo estágio (definido como empurrar ativamente por mais de 60 minutos), em comparação com mulheres que não receberam o treinamento (24% [intervalo de confiança (IC) de 95% de 16% a 33%] x 38% [IC 95% de 28% a 47%]). A duração do segundo estágio do trabalho de parto foi semelhante entre os dois grupos (40 minutos x 45 minutos; p = 0,06).

Não se verificou diferença no índice de massa corporal ou na auto-avaliação sobre exercícios físicos regulares depois do período de treinamento. Isto argumenta a favor de um efeito de aumento da força e do controle melhor dos músculos do assoalho pélvico, e não de um efeito geral do treinamento físico durante a gravidez.

Os autores concluem que o efeito pode estar no sistema nervoso central e nos músculos, e o treinamento parece facilitar, e não obstruir, o trabalho de parto. Mas são necessários estudos de outras populações.

BMJ 2004;329:378-380.

Fonte:http://www.gineconews.org/jornal/principaljornal.htm

Deixe uma resposta

Translate »