Eficácia da atividade física na recuperação de pacientes cardíacos

Publicado em 4 de março de 2015

Pesquisa do HCor aponta eficácia da atividade física na recuperação de pacientes cardíacos

Estudo clínico do Serviço de Reabilitação Cardiopulmonar e Metabólica apontou que 98% dos pacientes com doenças cardiovasculares apresentaram evolução efetiva .

Eficácia da atividade física na recuperação de pacientes cardíacos

Eficácia da atividade física na recuperação de pacientes cardíacos

Estudo clínico do Serviço de Reabilitação Cardiopulmonar e Metabólica apontou que 98% dos pacientes com doenças cardiovasculares apresentaram evolução efetiva na recuperação por meio de musculação e exercícios aeróbicos supervisionados.

Pesquisa do Serviço de Reabilitação Cardiopulmonar e Metabólica do HCor apontou que 98% dos pacientes avaliados que fizeram tratamento pelo Programa de Reabilitação do hospital obtiveram melhora na capacidade de oxigenação, aumento da força muscular cardíaca e maior tolerância ao exercício físico, além da redução de massa gorda, ganho de massa magra, bem como na melhora na qualidade de vida.

Segundo o responsável pela da pesquisa, Dr. Carlos Hossri e pelo Programa de Reabilitação Cardiopulmonar e Metabólica do HCor, 78% dos analisados já haviam sido submetidos a algum tipo de procedimento invasivo (ponte de safena, mamária ou angioplastia coronária com stent, correção de cardiopatias congênita e de doenças pulmonares). “A resposta obtida pela reabilitação foi tão satisfatória que o questionário de qualidade de vida ficou semelhante ou até mesmo superior ao de indivíduos normais”, explica o Dr. Hossri.

Entre 2011 e 2013 foram avaliados 106 pacientes com doença coronariana por meio de aplicação de questionário e diferentes tipos de testes de esforço, antes e depois dos pacientes iniciarem o tratamento pela Reabilitação Cardiopulmonar. Após três meses do Programa de Reabilitação, 98% dos pacientes apresentaram qualidade de vida igual ou superior quando comparados a indivíduos sem doença cardíaca.

De acordo com o responsável pela pesquisa ocorreram melhoras significativas em todos os aspectos, especialmente nos índices de qualidade de vida desses pacientes. “O Programa de Reabilitação Cardiopulmonar recomendado, monitorado e supervisionado promove melhoria na qualidade de vida dos pacientes com doenças cardíacas e pulmonares mais graves”, finaliza Dr. Hossri.

Personagens

“Gosto de romper barreiras, já que anseio por desafios. Pude desempenhar atividades físicas com segurança, já que há uma equipe multidisciplinar me assistindo”, explica Lucy Carvallaro, 52 anos. Ela sofre com tetralogia de falott, doença congênita, com quatro tipos de defeitos no coração. Já passou por três procedimentos cirúrgicos diferentes, sendo o primeiro aos 5 anos de idade, o segundo com 18 anos e em 2014 realizou a última cirurgia. Depois disso, em menos de um ano passou a frequentar o Programa de Reabilitação Cardiopulmonar.

Em aproximadamente oito meses percebeu uma evolução no quadro de saúde. As crises de asma que a acompanhava diminuíram muito e já é possível reverte-la sem remédios, além de conseguir realizar mais atividades físicas, tanto pelo programa do hospital, quanto no clube que frequenta.

Disposição, ânimo e melhora na respiração são as percepções do bancário Nelson Sanchez, de 50 anos.

Aos 14 anos foi diagnosticado com diabetes tipo I, um dos principais fatores de risco para doenças no coração. Aos 38 anos foi submetido a duas pontes de safena e uma ponte mamária. No ano de 2008 veio o diagnóstico de uma ponte e duas outras artérias ocluídas. Já em 2013, um ano depois da implantação de dois stents, Sr. Nelson recorreu ao Programa de Reabilitação Cardiopulmonar e, quatro meses depois, ele percebeu uma melhora significativa na saúde, sem contar as dores que ele sentia no peito, que foram amenizadas.

Sobre o Programa de Reabilitação Cardiopulmonar e Metabólica do HCor:

O programa é sugerido a todos os indivíduos portadores de risco para o desenvolvimento de doença arterial coronariana como indivíduos que já realizaram procedimentos invasivos como: angioplastia; revascularização do miocárdio, transplante cardíaco, implante de marca-passo ou cardiodesfibrilador implantável (CDI), cirurgia de válvulas, entre outras.

A reabilitação cardiopulmonar está indicada a todos os pacientes que apresentam falta de ar, limitação ao exercício pelo cansaço e fadiga, bem como restrição nas atividades de vida diária.

O objetivo do programa de Reabilitação Cardiopulmonar e Metabólica do HCor é reduzir os sintomas de fraqueza, diminuir a dispneia (falta de ar), melhorar a qualidade de vida e aumentar a participação dos pacientes nas atividades da vida diária propiciando o retorno mais precoce à atividade produtiva e ou lazer. Nesta modalidade de reabilitação é recomendado o treinamento com exercícios monitorados e supervisionados, o que propicia maior efetividade e segurança durante o tratamento do paciente.

Matéria publicada pelo site SEGS

Fonte:http://www.educacaofisica.com.br/ciencia-ef/pesquisa-do-hcor-aponta-eficacia-da-atividade-fisica-na-recuperacao-de-pacientes-cardiacos/

Comments are closed.

Translate »